RES' Library

1/3

Observações de RES

— depois de um dia inteiro organizando a biblioteca  —

Dia 29 de dezembro de 2019 

  1. Dois dias para acabar o ano 

  2. O ano tem 4 trimestres 

  3. Modos de se organizar -uma biblioteca precisa ser organizada para ser funcional -para responder ao estudos de seu proprietário-pesquisador  ( guardião temporário ) 

  4. Organização em muitas camadas /um modo de tocar as pessoas -a escrita precisa ser de um modo a tocar as pessoas -para é condição você não ser a coisa mais importante —enquanto você for o que importa na escrita -você não será lido . O mesmo vale para a comida -senão para tudo . 

  5. Antireferencial 

  6. Anti recursivo 

  7. Anti eu 

  8. O cinema atual é tudo —menos antirecursivo -portanto muito chato —é um cinema sobre si mesmo /sobre fotografia / sobre roteiro —não tem cinema o cinema atual . Para haver cinema é preciso se esquecer de fazer cinema —e ao mesmo tempo só pensar em cinema . Esquecer o assunto . O tema . Os procedimentos —e contar uma estória ( história) forte , poderosa , que me enleve , me tire , seja capaz de me mover do meu lugar de conforto -para isto será necessário muita muita violência -muito sangue , sem sacrifício do que acredito não haverá cinema novo que toque as pessoas . 

  9. Livros : pra que eles servem ? Para me orientar para outros livros . Livros que levam a livros que levam aos livros que me importam num dado momento . A biblioteca se move constantemente como um organismo vivo , que tem vida própria ( um grande livro que precisa ser lido ) a biblioteca é um livro para seu dono ( autor ) proprietário precário . Sim eu sou um dono precário . Posse precária . Uma obra nunca é um desenho , uma obra se revela com o tempo , uma obra são pequenas obras se juntando e se separando, se “desconfirmando “ isto mesmo se des-confirmar . Não ser o tempo todo , Abrir lugar para não ser . Abrir uma brecha para não eStar , para não ler . 

  10. Atividade de ler / ação de ler /desler/ inler/ inteiro /não há inteiro em mim /sou partes de mim /em partes - partido / função / legalidade / terror de estar sozinho -ler é aceitar o terror de estar só . Só -nem minha companhia eu tenho , é estar lendo -uma biblioteca não é um lugar de ler , é um lugar de estar só . Não leio para ter companhia - leio para me forçar a ser só . Em detrimento de mim leio , sou só , estou sem companhia , estou em êxtase . Êxtase não é ler , nem ser lido , em meios ( meiado) em caminho , nomeio , em meios -não há como dizer em meios , nesta impossibilidade total de me comunicar em meios , a palavra não se ajusta , não serve , não tem mais serventia , em meios disto , me enlameio de meios sem fim. 

  11. A escrita não cede -não foi feita para isto -não está a disposição , não está afeita a escritores . A escrita não foi feita para escrever , não está sujeita a reescrever , se corrigir , dizer o que eu quero , o que eu ingenuamente quero . Não funciona assim . Não funciona de outro jeito , apenas não funciona , não tem juízo , não se ajuíza , não deplora , não se satisfaz , não se pronuncia , a escrita não se inscreve , então não adianta escrever , mas eu quarto museu dizer algo que não tem como dizer a não ser na escrita vazia de mim , onde tento apreender o que a letra mesmo diz , pescar algo enquanto escrevo , uma tentativa vã , porém honesta decretar aqui onde não estou , minha escrita -minha escrita -minha escrita , meu olhar sobre minha escrita , escreve , reteve algo sagrado , não , sim , o inferno de não conseguir , de falhar , minoria de sentido , luta , contenda , inválido , impossível , depois de um dia lendo de um jeito outro , a escrita falha -eu falho , eu fracasso , eu gritando na floresta impossível de sentido . 

  12. Colocar os pés na água de batismo -bacia de Ágata onde vejo meu tempo em todas as direções , por abismo de olhar , vejo meu futuro . 

  13. Não adianta criticar o cinema -tenho que fazer o cinema que não está sendo feito no meu próprio texto cinema palavra . Uma palavra açoita outra palavra , se encavala em cima dela , cadela textual , posse , possesso verbal , ou já possessão verbal ou não há nada que me fira o Suficiente para que o texto apareça violado , enrabado , estuprado , o texto precisa ser furado a bala , mutilado , de um corpo se arrastando arranco o que importa , sangrando , pendurado , vai vai vai —não posso ser assim como você . Esteja aqui , esteja presente aqui para empunhar um gole de vida , um trago da morte , um cálice de veneno do vento que me enforca . Estrangulado—a língua torta , desalmadamente imploro : esteja aqui novamente . Novamente .

RUBENS ESPÍRITO SANTO

Atelier do Centro - G1

Rua Epitácio Pessoa, 91, República, São Paulo

+55 11 3129-3977 // +55 11 99537-5396 (RES)

Monday - Friday: 8am - 5pm

atelierdocentro@gmail.com

Galpão do Centro - G2

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

Residência Atelier Luca Parise - G3

Rua Teodoro Baima, 51, SL 2, República, São Paulo 

www.lucaparise.co

CECAC - Centro de Estudos Conglomerado

Atelier do Centro - G4

Rua Teodoro Baima, 51, SL 1, República, São Paulo

Atelier do Centro - G5

Rua Teodoro Baima, 88, República, São Paulo

Coleção Àlex Muñoz - G6

Carrer del Segle, 5, Premià de Mar

08330 - Barcelona, España

OPCAC - Oficina Prática Conglomerado Atelier do Centro

Rua Teodoro Baima, 39, República, São Paulo

www.opcac.xyz

Vernacular - Editora Atelier do Centro

www.ccsvernacular.com

www.medium.com/@carolccs

  • YouTube
  • Instagram

copyright © 2020 Conglomerado Atelier do Centro, todos os direitos reservados