1º Texto Espiritual

 

O que é o espírito? 

Dia 12 de março de 2020

RUBENS ESPÍRITO SANTO 

 

RES gostaria de definir o que é o espírito, definir não para fechar o significado, definir não para definir, mas, definir para indefinir de maneira brutal o que é o espírito —meu definir é armar uma arapuca, é cevar o campo da escrita de um organismo fértil o suficiente pada engravidar-se de poder estar em estado de captura fina —isto é, não, isto não é, não se trata mais de ser, se trata de uma criatura que se criou à revelia de ser, embaixo de um caixote da existência. Na discrepância de todo dizer, de todo dito, do Benedito de mim, criatura crua que cava, cava, cava, focinho sujo de bactérias primordiais da espécie humana, pronta para se transmutar: pingando a possibilidade de adiantar o que escapa de SER. Espírito para mim é isto. Isto é: não-isto. Não isto, não disto, não inserido, não nisto, sem ministério, sem magistratura, desígnio em estado de me expelir, em estado de fuga de mim, que mim? Em estado de desmim, desentão, dentroforainmim, não há mais intervalo válido aqui, a correnteza, o fluxo, influxo, medo, quanto mais perto mais a coisa se esconde, oculta, se esconde, escondida, minha fúria transcende, incendeia minha vontade de dizer-me, dizeria, disse-se, dissese, diz, diria, disseriria, não! Não pode ser assim, o verbo não pode se conjugar assim, não posso ousar me conjugar num tempo que ainda não existe, seria um ultraje ontológico fazer isto — inventar um tempo meu, onde estaria me sendo como nunca fui, como selo trocado de existir, como engano celular, como troca de um cadeado que me abriria para outra língua de mim, onde não seria comunicável o que desejo, mas apenas o pré desejo de mim — num salto até meu estado mais bem acabado — que seria: NADA. Minha completa, absoluta incapacidade de me manter estável nesta experiência ANTI EU NESTA VIDA.